Mercado - 12/06/2020

Aquisições e alienações em maio de 2020

De acordo com o monitoramento mensal realizado pela MZ, os comunicados de alienação de participação relevante arquivados pelas companhias em maio de 2020 representaram aproximadamente o dobro dos comunicados de aquisição arquivados no mesmo período.

De acordo com a nossa análise, 11 empresas arquivaram 12 comunicados sobre aquisição de participação relevante, ao passo que 18 empresas comunicaram 23 vezes sobre fundos que realizaram alienações de participações. A Bradesco Asset Management S.A. foi quem mais esteve presente nos comunicados de aquisição, com duas ocorrências no mês, ao passo que o Itaú Unibanco foi quem mais esteve presente nos comunicados de alienação, com três participações.

Os setores de Alimentos e Bebidas, Energia Elétrica, Imobiliário e Serviços Financeiros  apresentaram a maior quantidade de arquivamentos de aquisições em maio de 2020, com dois documentos cada.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Quando analisamos a nacionalidade e a quantidade dos fundos citados nos comunicados, 27 fundos/instituições, nacionais e internacionais, foram relatados pelas companhias, e os fundos nacionais representaram a maioria, tanto em aquisições quanto em alienações.

Lembrando que, como previsto pelo Artigo 12 da Instrução CVM 358, sempre que um fund

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

o ou uma instituição atingir uma quantidade de ações superior a 5%, ou múltiplos de 5, por exemplo, 10% ou 15%, tal fundo ou instituição tem o dever de informar esse fato à companhia e à CVM, e a empresa, então, deve anunciar esse fato ao mercado, por meio de um comunicado. Semelhantemente, quando um fundo ou uma instituição que, previamente, tinha 5%, ou múltiplos de 5, e, agora, passa a deter menos que essa quantidade, tal fundo ou instituição deve comunicar esse fato à companhia e à CVM, e a companhia deve emitir um comunicado ao mercado.

Para obter mais informações ou ter acesso ao estudo completo, entre em contato com a MZ.

Cássio Rufino – CFO & IR.